29.8.11

136: O dom supremo



"A vida em abundância vem apenas através do amor."
(Elbert Hubbard)

Olá!
Tive mais um dia iluminado. Acordei muito animada. Trabalhei, namorei, comecei e terminei de ler um pequeno livro muito belo chamado: "O dom supremo, de Henry Drummond traduzido por Paulo Coelho. Foi indicação da minha mãe e uma pessoa muito querida havia indicado a ela. Fala sobre o AMOR. 


Não o amor físico, muito menos a paixão avassaladora, mas o amor de Deus por nós e nosso por nós mesmos e pelos demais. Material lindo e necessário. Colocarei um resumo do mesmo aqui, mas no final segue um link caso você deseja abaixá-lo gratuitamente em PDF.



O AMOR É O DOM SUPREMO
(Coríntios I, cap. 13; vers. 1 a 13)


Ainda que eu fale a línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine.

Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé; a ponto de transportar montes, se não tiver amor nada serei.

E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.

O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se recente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará; porque em parte, conhecemos e em parte profetizamos.

Quando porém, vier o que é perfeito, então o que é parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.

Porque agora, vemos como em espelho, obscuramente, então veremos face a face. Agora,conheço em parte; então conhecerei como também sou conhecido.

Agora pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.

- Saulo de Tarso - I Corintios 13; 1-13




Qual é a coisa mais importante para exercermos nosso ministério com eficácia? 

Fé?... Se em algum momento pensamos que ela é a mais importante, podemos deixar de pensar. 

Analizando o texto - (... Agora pois, estas três permanecem: a fé, a esperança e o amor, mas a maior destas é o amor. (Vers.13). 

Pedro disse: "Mas sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá uma multidão de pecados." (I Pedro 4;8) 

João foi mais além, ele escreveu: "...Deus é amor!" (I. João 4;8)

Porque Paulo escreveu isto? Porque os homens queriam chegar ao paraíso cumprindo os dez manadamentos. Aí escolheram mais 613 preceitos na lei para alcançarem a suprema realização da fé. 

Jesus Cristo disse: Se vocês amarem, estão cumprindo a lei, mesmo que não tenham consciência disto. 

Ex: Quando um homem ama, é desnecessário exigir que honre seu pai e sua mãe, ou que não mate. Para o homem que quer bem a seu próximo é uma ofensa exigir que não roube - como poderia roubar quem ama? 


Como o arco-íris. Em um arco-íris, as gotas de chuva no ar agem como pequenos prismas. A luz entra na gota de chuva, reflete do outro lado da gota e sai. Sete cores - A luz é branca. Quando o amor de Deus prenche os nossos corações como um prisma, atravessando a sensibilidade humana surgem as nove atitudes do amor, como as cores do arco-íris. São elas:

1) Paciência: "O Amor é paciente!" Tudo espera, tudo suporta. Este é o comportamento normal do Amor, esperar com calma, sem pressa, sabendo que em determinado momento ele poderá se manifestar... Consegue conviver com a incoerência do outro; é capaz de entender a limitação do outro.

2) Bondade: "O amor é benigno!" Amor ativo. Já repararam que Cristo utilizou grande parte do seu tempo no mundo sendo bom para os outros, deixando os outros contentes? Estar feliz em fazer o outro se sentir realizado.

3) Generosidade: "O amor não arde em ciúmes!" Amar é competir com o amor dos outros. Deixe os outros se amarem. Sempre que você quiser praticar uma boa ação, encontrará pessoas que fazem a mesma coisa, às vezes de uma maneira muito melhor que a sua. Não os inveje. A inveja é um sentimento dirigido àqueles que estão ao nosso lado, geralmente tentando destruir o que há de melhor nesta pessoa. 

4) Humildade: "O amor não se ufana nem se ensoberbece!" Colocar um selo em nossos lábios e esquecer nossa paciência, nossa bondade, nossa generosidade. Depois que o Amor penetrou em nossas vidas e realizou seu belo trabalho, devemos ficar quietos e não dizer nada.O Amor se esconde, inclusive, de si mesmo. O Amor evita a auto-satisfação. O Amor "não se ufana, nem se ensoberbece."

5) Delicadeza: "O amor não procura seus interesses!","O Amor não se conduz inconvenientemente!" "O amor é delicadeza!" Este é o amor entre os homens, o amor na sociedade. Muitas pessoas costumam dizer que delicadeza é um sentimento supérfluo. Não é verdade: delicadeza é o Amor manifesto nas pequenas coisas.O Amor não consegue ser agressivo ou inconveniente, não consegue comportar-se de maneira errada. Você pode ser a pessoa mais tímida do mundo, mais despreparada para lidar com o próximo - mas, se tiver um reservatório de amor em seu coração, sempre agirá da maneira certa. Quem possui Amor em seu coração, não pode agir grosseiramente. 

7) Tolerância: "O amor não se exaspera!" Somos inclinados a julgar a intolerância como um defeito de família, uma característica de personalidade, uma distorção da natureza, quando na verdade deveríamos considerá-la uma verdadeira falha do caráter do homem. Em razão disso, na análise que faz do Amor, Paulo cita a tolerância. E a Bíblia, em muitas outras passagens, cita a intolerância como elemento mais destruidor da nossa maneira de agir. O que mais me impressiona é que a intolerância, o preconceito, está sempre presente na vida de pessoas que se julgam virtuosas. Geralmente é a grande mancha numa personalidade que tinha tudo para ser gentil e nobre. Conhecemos muitas pessoas que são quase perfeitas mas que - de repente - acham que estão certas em alguma coisa e perdem a cabeça por causa disto. 

8) Sinceridade: "O amor não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade!" Chamei este ingrediente de sinceridade. Aquele que sabe amar, ama a Verdade tanto quanto o seu próximo. Alegra-se com a Verdade - mas não com a verdade que lhe foi ensinada. Não com a verdade das doutrinas. Nem com a verdade das igrejas. Nem com este ou aquele "ismo". Ele se alegra na Verdade. Busca a Verdade com uma mente limpa, humilde e sem preconceitos ou intolerância - e acaba ficando satisfeito com o que encontra. Talvez a palavra sinceridade não seja a melhor para explicar esta qualidade do Amor, mas não consigo encontrar nenhuma outra. 

9) Inocência: "O Amor não se ressente do mal!" As pessoas que mais nos influenciam, mas nos tocam, são aquelas que acreditam no que dizemos. Num ambiente de mútua suspeita, as pessoas se retraem. Diante da inocência porém, todos nós crescemos. Encontramos coragem e amizade junto de quem acredita em nós. Quem nos entende, pode nos transformar. É muito bom saber que, aqui e ali, ainda existem certas pessoas que não ficam ressentidas com o mal porque sabem a importância do bem que estão fazendo. Estas pessoas cresceram aos olhos dos homens e de Deus. Não temem a inveja ou a indiferença. vêem sempre o lado bom, colocam o melhor de si para funcionar. 

Agora temos que nos esforçar para que todos estes ingredientes passem a fazer parte de nós mesmos.
Este deve ser nosso objetivo no mundo: aprender a amar!

Algumas decisões qiue precisamos tomar:

1) Prática: Como especializar-se em uma profissão?Procure ver o mundo como um grande aprendizado de Amor e não fique lutando contra aquilo que acontece em sua vida. Não reclame por precisar estar sempre atento, ser obrigado a viver em ambientes mesquinhos, cruzando com almas pouco desenvolvidas.

 2) IMPORTANTE: Esta foi a maneira que Deus encontrou para você praticar.  Conviver com a incoerência humana.

Pois bem. Eu mostrei alguns aspectos do Amor, para facilitar nossa compreensão a respeito de Deus e do próximo. 

Mas são apenas aspectos. O Amor jamais pode ser definido. 

A luz é muito mais que a soma de seus componentes - é algo que brilha fulgurante no espaço. 

E o Amor é muito mais que a soma de todos os seus ingredientes; é uma coisa viva, palpitante, divina. 

Se misturarmos todas as cores do arco-íris, tudo que conseguimos criar é a cor branca - não conseguimos fazer a luz. 

Da mesma maneira, ao sintetizar todas as virtudes das quais falamos, podemos nos tornar virtuosos, mas não quer dizer que tenhamos aprendido a amar.

Nada disso, porém, vai nos fazer amar, porque o Amor é um efeito. E só ao conhecermos a causa, o efeito se manifesta.

Devo dizer qual é esta causa?

Se lermos a Versão revisada da Primeira Epístola de João, vamos encontrar as seguintes palavras:

"Nós amamos porque Ele nos amou primeiro!"

Está escrito: "nós amamos", e não "nós" 'O amamos", como traduziram antes, de maneira errada.

"Nós amamos porque Ele (Deus) nos amou primeiro." Reparem na palavra porque.

Porque Ele primeiro nos amou, o efeito - consequentemente - é que nós amamos. No prisma de nossa sensibilidade somos todos manifestações do Amor.

Amamos a Ele, amamos a nós mesmos, amamos a todos.

Você não pode se obrigar a amar, e tampouco pode obrigar a qualquer pessoa. Tudo que pode fazer é olhar o Amor, apaixonar-se por ele, e copiá-lo. Ame o Amor. Olhe o grande sacrifício que Ele propôs a si mesmo. Ao amá-lo, você se tornará como Ele.


O Amor produz Amor.

Permaneça perto de quem nos amou, e você será imantado por esse Amor. Qualquer homem que buscar esta causa, terá o seu efeito. O Amor derrete o mal que existe no coração de um homem e o transforma em uma nova criatura - paciente, humilde, tolerante, gentil, entregue, sincera. Não existe nenhuma outra maneira de conseguir amar - e tampouco há qualquer mistério sobre isto. Nós amamos os outros, amamos a nós mesmos, amamos nossos inimigos, porque primeiro, fomos amados por Ele (Deus) e só isso importa na vida.



O Dom Supremo é um livro de Paulo Coelho, adaptação livre do livro "A Melhor Coisa do Mundo" (The Greatest Thing in the World), de Henry Drummond. Fala sobre um trecho da carta de São Paulo aos Coríntios.

Conta a história de um famoso e consagrado Pastor que pregava em um jardim em Kent, na Inglaterra, no final do século retrasado, e em um dia com pouca inspiração, resolveu chamar um jovem e desconhecido missionário presente (Henry Drummond) para substituí-lo e pregar para as pessoas. O jovem então faz uma profunda reflexão sobre o 13º Capitulo da carta de São Paulo aos Coríntios que fala muito a respeito do "Dom Supremo" que é o Amor. Um dos mais belos textos sobre o Amor de que se tem notícia. Traduzido em diversas línguas, este livro é considerado um dos clássicos da Busca Espiritual, com mais de cinco milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.

Para fazer o download do livro completo, clicar no link abaixo:



"A vida nos ensinou que o amor não consiste em olhar um para o outro, mas sim olhar juntos para fora na mesma direção."
(Antoine De Saint Exupery)


Até amanhã!

...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Toda reforma foi em algum tempo uma simples opinião particular." (Ralph Waldo Emerson)