27.9.11

165: A minha fé


“Não mais considero a felicidade inatingível como há muito tempo eu a considerava. Agora sei que ela pode acontecer a qualquer momento, mas que nunca deveria ser buscada. Quanto ao fracasso ou à fama, são muito irrelevantes e nunca me preocupei com eles. O que estou procurando agora é a paz, a alegria de pensar e da amizade, e, embora possa parecer demasiada ambição, uma sensação de amar e de ser amado.” (Jorge Luís Borges)

Olá!

Hoje acordei melancólica e este sentimento me acompanhou quase o dia todo. Não havia nenhuma razão externa, como sempre estava tudo apenas "dentro de mim". 
Achei que não seria uma boa companhia, então... Liguei pra minha mãe, cancelando o meu compromisso de levar a minha vozinha ao médico, pedi que ela me substituísse e ela como sempre, aceitou. Pensei que este sentimento duraria alguns dias, parecia maior do que eu. Procuro não resistir aos dias aparentemente "ruins", eles são necessários, trazem o equilíbrio e nos fazem pensar. 


Além do mais, citarei novamente o clichê: São esses dias que fazem a gente perceber o que é um dia bom, quando algo maravilhoso acontece, não é mesmo?!
Mas meu amor veio aqui e aos poucos, naturalmente tudo melhorou. 
Talvez o pequeno gesto dele ter feito um bolo e trazido para mim tenha feito um efeito maior do que ele esperava, pois realmente me animou e ele nem sabia que eu estava assim. Acho que os verdadeiros gestos de amor são assim, espontâneos e sutis, mas transformadores, não é mesmo?! E... Estava uma delícia! 




Ontem deixei no ar o seguinte assunto: É possível mantermos sempre a nossa fé?
Então preciso voltar no tempo para descrever algo que ocorreu comigo. Agosto de 1999, fui embora para os Estados Unidos, estava noiva de um americano e fui fazer pós. Na época eu tinha uma companheira inseparável: a rinite alérgica. Já havia feito diversos tratamentos: acupuntura, vacinas, homeopatia e outros e... nada funcionou, nem ao menos diminuiu. Eu espirrava muito ao contato com pó, cigarro, pelo de animais, pólen, etc... 


Sentia uma enorme coceira nos olhos e nos ouvidos, além de dor de cabeça. Meu nariz ficava muito congestionado e eu usava Sorine (descongestionante nasal) sem parar havia 7 anos. Cheguei a usar quase um frasco por dia neste período. Não conseguia ficar sem, quando via que ia acabar já comprava vários, pois era dependente dele pra "funcionar". Porém mesmo com ele, sentia sempre um desconforto e espirrava muito. Os médicos diziam: não existe cura, você viverá assim pra sempre.



Então... comprei uns 12 frascos e fui para os Estados Unidos. Pensei em encontrar o mesmo remédio lá quando precisasse ou outro similar. Só que aconteceu algo desagradável, devido ao fato de eu usar muito este medicamento, toda a minha camada de pele interna do nariz até a garganta estava em carne viva, tentei pingar outros remédios, mas queimava como se eu tivesse colocando álcool numa ferida aberta. Doía demais e não havia nenhum com a mesma fórmula do Sorine, o único que eu conseguia usar.


Até que certa noite, fui dormir e... Levei um susto! Percebi que só tinham algumas gotas, procurei e vi que era o último frasco. Fiquei desesperada, como se a minha vida dependesse daquilo. Só quem já passou por isso pode imaginar como é ruim. O nariz começava a congestionar e a impressão que eu sentia era que não conseguiria respirar, como se fosse faltar ar. Além da enorme dor de cabeça e outros efeitos.



No Brasil quando acabava mesmo de madrugada eu ligava para a farmácia 24 horas para virem entregar aqui em casa. 
Mas lá nos Estados Unidos, o que eu poderia fazer se já havia tentado e nada havia dado certo?
Mesmo que minha família enviasse por Sedex, levaria vários dias para chegar uma encomenda. 
O que você teria feito no meu lugar?


Estava noutro país, sem a família e os amigos, além do mais lá havia um controle mais rígido sobre remédios, teria que marcar uma consulta, esperar... Mas estava cheia de aulas no dia seguinte e não sabia o que fazer. Chorei desesperadamente. 
Aí meu ex noivo se aproximou e disse: Calma, vamos fazer uma oração, você vai dormir e amanhã nós encontraremos uma solução, ok?
Sabe aqueles momentos em que você quer uma solução mais rápida e prática? Não queria rezar, queria mais Sorine só isso; mas como não era possível, aceitei meio relutante a proposta dele.


Antes que eu continue, aqui vai um belo parênteses:
O Marc (meu ex noivo) havia sido criado numa família de Mórmons, mas não havia se convertido, de modo que me dizia não acreditar em nada. Ele algumas vezes demonstrou curiosidade sobre alguns livros espiritualistas quando nos conhecemos, mas eu procurei sempre respeitar a individualidade dele e nunca impus as minhas crenças. Ele era praticamente um ateu, então não entendi quando ele propôs uma oração, talvez ele sentisse que me acalmaria, que seria um paliativo, sei lá...


Continuando...
Ele deitou na beirada da cama, colocou a mão na minha cabeça e disse algo mais ou menos assim: 
"Deus, a Marcia é uma boa pessoa, cuida bem dela, ela está sofrendo, com medo e merece ficar bem. Se existir alguma razão pela qual ela está assim, que vá embora. Se for algum espírito ruim ou energia negativa, que tudo isso desapareça agora e que ela consiga dormir bem e ter um bom dia amanhã." 
O tom de voz dele era tão angelical, ele realmente emanava um carinho, um desejo sincero de que eu melhorasse e eu me acalmei e em poucos minutos... dormi.



Pela primeira vez em anos, não acordei de madrugada para pingar mais remédio e quando finalmente acordei pela manhã: não precisei mais do Sorine. Milagre?! De certa maneira sim, mas eu te digo que o que existiu foi apenas uma oração simples, mas de coração e uma entrega total, pois não parecia haver outra saída. Talvez isso seja orar mesmo, quando a gente abre o coração e depois desapega.





Em nenhum momento o Marc pediu a minha "cura", mas ela ocorreu. Fiquei anos guardando o restinho do último frasco, só para eu me lembrar do quanto Deus é poderoso. Nosso poder de cura é infinito e está sempre ao nosso alcance, precisamos apenas nos entregar e confiar.



A sensação de não ter mais rinite crônica é mágica! Como é bom respirar livremente... Tudo bem, eu confesso que o cheiro da fumaça de cigarro me incomoda, mas não como antes, apenas acho desagradável. Também sinto uma leve coceira no nariz e nos olhos quando estou num local com muitos pelos de animais, mas nada se compara a liberdade de não depender do Sorine 24h/dia. Sou muito grata por isso, tenho uma saúde maravilhosa. 



Mas antes de ir para a cama gostaria de dizer algo tão ou mais importante que a mensagem acima. Houveram outras vezes em que minhas orações não surtiram resultado algum. Me senti ainda mais triste, desamparada ou desesperada. Portanto, saiba que não tenho as respostas. Apenas experiências que gosto de compartilhar.



Sei que a saúde é reflexo de meu estado mental e emocional, então procuro estar bem para eliminar a causa principal, só isso. Mas gostaria de dizer que humildemente eu admito: certas vezes sinto Deus tão forte dentro de mim (pois somos seres divinos, na verdade somos Deus). Esta sensação é tão espetacular e é difícil explicá-la em palavras, de tão sublime... Outras vezes sinto exatamente o contrário. 



Mas se até Cristo, nos momentos em que mais precisava dEle se sentiu abandonado, então posso me considerar uma pessoa normal, não é mesmo?! Talvez o equilíbrio na vida seja este, certos dias estaremos muito bem, outros mais ou menos e em alguns, desconectados desta "Fonte" divina.



Agradeço sinceramente aos "anjos" que estiveram ao meu lado, nos momentos em que mais precisei. Acho que eles sabem quem são. Só posso desejar que suas vidas sejam cada vez mais felizes! 

Amigos são anjos de uma asa só


Existe uma história de uma simplicidade linda, que eu gostaria de contar. Uma lenda, um acalanto. Não sei se é verdade. e não importo-me com isso. Não precisa ser.

Foi há muito tempo atrás, depois do mundo ser criado e da vida completá-lo. Num dia, numa tarde de céu azul e calor ameno. Um encontro entre Deus e um de seus incontáveis anjos. Acredita em anjos?

Deus estava sentado, calado. Sob a sombra de um pé dejabuticaba. Lentamente, Deus erguia suas mãos então colhia uma ou outra fruta.

Saboreava sua criação negra e adocicada. Fechava os olhos e pensava. Permitia-se um sorriso piedoso. Mantinha seu olhar complacente.

Foi então que das nuvens um de seus muitos arcanjos desceu e veio em sua direção.

Já ouviu a voz de um anjo? É como o canto de mil baleias. É como o pranto de todas as crianças do mundo. É como o sussurro da brisa.

Ele tinha asas lindas... brancas, imaculadas. Ajoelhou-se aos pés de Deus e falou:

"Senhor... visitei sua criação como pediu. Fui a todos os cantos. Estive no sul, no norte. No leste e oeste. Vi e fiz parte de todas as coisas. Observei cada uma de suas crianças humanas. E por ter visto vim até o Senhor... para tentar entender. Por quê? Porque cada uma das pessoas sobre a terra tem apenas uma asa? Nós anjos temos duas... podemos ir até o amor que o Senhor representa sempre que desejarmos. Podemos voar para a liberdade sempre que quisermos. Mas os humanos com sua única asa não podem voar. Não podem voar com apenas uma asa..."

Deus na brandura dos gestos, respondeu pacientemente ao seu anjo. 

"Sim... eu sei disso. Sei que fiz os humanos com apenas uma asa..." 

Intrigado, com a consciência absoluta de seu Senhor o anjo queria entender e perguntou:

"Mas por que o Senhor deu aos homens apenas uma asa quando são necessárias duas asas para poder-se voar... para poder ser livre?"

Conhecedor que era de todas as respostas Deus não teve pressa para falar. Comeu outra jabuticaba, obscura e suavemente. Então respondeu...

"Eles podem voar sim meu anjo. Dei aos humanos apenas uma asa para que eles pudessem voar mais e melhor que Eu ou vocês meus arcanjos... Para voar, meu amigo, você precisa de suas duas asas... Embora livre, sempre estará sozinho. Talvez da mesma maneira que Eu. Mas os humanos... os humanos com sua única asa precisarão sempre dar as mãos para alguém a fim de terem suas duas asas. Cada um deles tem na verdade um par de asas... uma outra asa em algum lugar do mundo que completa o par. Assim eles aprenderão a respeitarem-se pois ao quebrar a única asa de outra pessoa podem estar acabando com as suas próprias chances de voar.
Assim meu anjo, eles aprenderão a amar verdadeiramente outra pessoa... aprenderão que somente permitindo-se amar eles poderão voar. Tocando a mão de outra pessoa em um abraço correto e afetuoso eles poderão encontrar a asa que lhes falta... e poderão finalmente voar. Somente através do amor irão chegar até onde estou... assim como você meu anjo. E eles nunca... nunca estarão sozinhos quando forem voar."

Deus silenciou em seu sorriso. O anjo compreendeu o que não precisava ser dito.

E assim sendo, no fim desse conto, espero que você já tenha encontrado a sua outra asa, ou a encontre logo para finalmente poder voar.
(Autor desconhecido)



Até amanhã!


"Nenhuma grande vitória é possível sem que tenha sido precedida de pequenas vitórias sobre nós mesmos."
(L. M. Leonov)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Toda reforma foi em algum tempo uma simples opinião particular." (Ralph Waldo Emerson)