18.3.12

275: A sabedoria do bambu chinês


"Nunca pense que um pequeno grupo de indivíduos altamente dedicados não pode mudar o mundo. Na verdade, foram eles os únicos que já o fizeram."
Margaret Mead - Antropóloga



Olá!
Acordei tarde hoje, fui direto almoçar.
Estava delicioso (comida japonesa e chinesa) e depois, uma longa caminhada/corrida num parque.
Estou feliz. 
Cheguei tarde ontem pois saí para celebrar o aniversário de duas pessoas muito especiais e de quebra conheci um nova-iorquino e um norueguês que se juntaram à nossa celebração com brasileiros e uma colombiana.
Comida deliciosa e companhias espetaculares, receita perfeita!
Fomos a um local chamado: Elvis Costella. Com música e decoração dos anos 60.



Em relação à minha vida em geral: Sabe quando você sente que tudo está se encaminhando?
Mas por diversas vezes tive dúvidas, as manifestações não apareciam e eu achava que nada estava progredindo.
Se existe alguém neste mundo que tenta acertar, persistir, acreditar, sonhar, aprender... Sou eu!
Mas sou humana e sei que quando não vemos os resultados imediatos muitas vezes nos frustramos, não é mesmo?!
Acho que isso acontece com todos.
Esses dias li o texto abaixo e gostei, pois é sobre este tema, então o colocarei na íntegra, ok?


"A sabedoria do bambu chinês"



Por ter raízes profundas, o bambu chinês consegue enfrentar uma tempestade sem se quebrar.

A semente do bambu quando plantada, não desabrocha rapidamente para fora da terra. Ela tem o seu crescimento no subterrâneo durante quatro anos, e fica para fora da terra somente um broto muito pequeno.

Durante esses quatro anos, a raiz cresce e torna-se forte, procura formar um alicerce cada vez mais forte, coloca as raízes na direção onde consiga mais água e substâncias que irão fazer com que cresça.

Ao fim do quarto ano, o broto começa a desenvolver-se e é capaz de atingir 25 metros num ano, o mesmo comprimento que têm as suas raízes. Ele torna-se alto, fino e oco por dentro e por causa destas características, consegue enfrentar uma tempestade ao dobrar-se perante os ventos fortes.

Porque falo do bambu chinês?

O ser humano está cada vez mais imediatista e quer que as coisas aconteçam num piscar de olhos como se fosse esfregar a lâmpada maravilhosa de Aladin e tudo aparecer!

O bambu ensina-nos que, para se atingir lugares cada vez mais altos, é preciso primeiro fazer os alicerces buscando a formação, tanto espiritual como profissional, e direcionar as nossas “raízes” para os objetivos.

Podemos aprender também que, assim como a semente do bambu chinês leva quatro anos a criar o seu “alicerce” para depois no quinto ano crescer para o alto, as coisas não acontecem de um dia para o outro, são precisas semanas, meses ou até anos para se ver algum resultado e entender que as oportunidades de sucesso aumentam quando cuidamos bem do “broto do bambu”.

Ao agir assim, o quinto ano chegará e muitos vão dizer que é sorte ou que alguém ajudou. Na verdade as pessoas dizem isto porque não acompanharam o crescimento das “raízes”.

Há mais dois ensinamentos a que devemos prestar atenção!

Primeiro ensinamento: quando digo que o bambu é oco, não estou a querer falar do conteúdo, já que este está nas raízes que demoraram quatro anos para crescer. Oco, no ensinamento do bambu, quer dizer uma pessoa flexível que consegue pensar diferente, livre de rancores e ressentimentos que apenas atrapalham a renovação constante do ser.

O segundo ensinamento é que por o troco ser alto (bem preparado), oco (flexível, sem rancores e ressentimentos) e ter raízes profundas (ter conhecimentos e uma boa conduta ética) o bambu consegue enfrentar uma tempestade sem se quebrar.

Vamos refletir sobre isto com a epígrafe da semana:

"Qualquer árvore que queira tocar os céus, precisa ter raízes tão profundas a ponto de tocar os infernos."
(Carl Gustav Jung)

Texto de:
Maria Luísa Albuquerque
Psicoterapeuta e Hipnoterapeuta





Até breve!

...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Toda reforma foi em algum tempo uma simples opinião particular." (Ralph Waldo Emerson)