25.6.12

290: Pessoas boas...


"Pessoas boas trazem à tona o lado bom das outras pessoas..."


Olá!
Estou excepcionalmente com uma leve gripe, então não vou escrever muito hoje.
Sei que o corpo é reflexo de todo conteúdo mental, é que algumas coisas realmente me estressaram na semana passada, mas já passou.
Então... gostaria de deixar a reflexão acima para eu continuar amanhã, pode ser?
É uma dica sobre o que vou falar, pois aconteceu algo relacionado à isso.
Você concorda com esta ideia?



"Pessoas boas trazem à tona o lado bom das outras pessoas..."


SIM ou NÃO?





Até amanhã!

...


20.6.12

289: Obrigada por insistir...





Olá!
Estava sentindo falta deste cantinho especial. Então hoje espero reservar mais tempo para ele e publicar reflexões que eu sinta orgulho. Então vamos lá...
Algo muito sério aconteceu nesta semana que passou. Uma de minhas melhores amigas (temos a mesma idade) foi diagnosticada com câncer e fará uma cirurgia para remoção de alguns órgãos.
Assim que ela viu o resultado dos exames e indicava nível 5, o mais avançado, ela me ligou e tivemos uma longa, positiva e significativa conversa.



E sabe o que aconteceu comigo?
Imediatamente passei a valorizar mais a vida.
E fiquei feliz com uma coisa: no momento mais difícil da vida dela, ela me procurou para apoio. 
Sinto que devo estar fazendo algo correto.
Ela é a atual namorada de meu ex marido americano.
Pode?
Eu sei... Muitos acham isso estranho, mas eu considero isso maturidade, pois o relacionamento com ele terminou, mas a amizade e carinho serão eternos e percebo que ela sabe disso e compreende.
Minha vida tomou um sentido ainda mais belo. Consegui acordar nos dias seguintes agradecendo mais à minha saúde, aos alimentos, ao ar, à vida, à minha casa, à minha família, à minha nova empresa, enfim... à tudo!


"Eu não TENHO QUE dar certo, portanto, não darei errado. Já sou o certo."
Luiz Gasparetto


Ultimamente tenho me ligado muito às filosofias e religiões asiáticas. Estou planejando uma viagem ainda este ano para a Tailândia, Índia e China. Quero ver se retorno às aulas de yoga. Enfim... Sei que quando a mente está serena, todo o restante também se aquieta e nossa vida passa a ter mais  harmonia, alegria, paz, amor e principalmente passa também a ter mais sentido e valor.

Precisamos fazer as pazes com todo o passado e assim nosso presente se ajeita e nosso futuro será o melhor possível. 


"Toda cicatriz que tenho me transformou em quem eu sou..."

E por falar em filosofias orientais, gosto muito da ideia dos chacras e do que eles significam. 

Na verdade são pontos energéticos em nosso corpo.
Achei este resumo abaixo bem interessante, então o compartilho com vocês.


I understand = eu compreendo
I see = eu vejo
I speak = eu falo
I love = eu amo
I do = eu faço
I feel = eu sinto
I am = eu sou



E para finalizar, um texto que eu amo.
E obrigada à todas as pessoas que estão na minha vida, pois direta ou indiretamente me colocam no "caminho" para buscar sempre a felicidade e a razão de viver.




OBRIGADO  POR  INSISTIR





"Até o mais seguro dos homens e a mais confiante das mulheres já passaram por um momento de hesitação, por dúvidas enormes e dúvidas mirins, que talvez nem merecessem ser chamadas de dúvidas, de tão pequenas. Vacilos, seria melhor dizer.
Devo ir a este jantar, mesmo sabendo que a dona da casa não me conhece bem?
Será que tiro o dinheiro do banco e invisto nesta loucura? Devo mandar um e-mail pedindo desculpas pela minha negligência?

Nesta hora, precisamos de um empurrãozinho. E é aos empurradores que dedico esta crônica, a todos aqueles que testemunham os titubeios alheios e dizem: vá em frente!

Obrigada por insistir para que eu pintasse, que eu escrevesse, que eu atuasse, obrigada por perceber em mim um talento que minha autocrítica jamais permitiria que se desenvolvesse.

Obrigada por insistir para que eu fosse visitar meu pai no hospital, eu não me perdoaria se não o tivesse visto e falado com ele uma última vez, eu não teria ido se continuasse sendo regida apenas pela minha teimosia e orgulho.

Obrigada por insistir para que eu conhecesse Veneza, do contrário eu ficaria para sempre fugindo de lugares turísticos e me considerando muito esperta, e com isso teria deixado de conhecer a cidade mais surreal e encantadora que meus olhos já viram.

Obrigada por insistir para que eu fizesse o exame, para que eu não fosse covarde diante das minhas fragilidades, só assim pude descobrir o que trago no corpo para tratá-lo a tempo. Não fosse por você, eu teria deixado este caroço crescer no meu pescoço e me engolir com medo e tudo.

Obrigada por insistir para eu voltar pra você, para eu deixar de ser adolescente e aceitar uma vida a dois, uma família, uma serenidade que eu não suspeitava.
Eu não sabia que amava tanto você e que havia lhe dado boas pistas sobre isso, como é que você soube antes de mim?

Obrigada por insistir para que eu deixasse você, para que eu fosse seguir minha vida, obrigada pela sua confiança de que seríamos melhores amigos do que amantes, eu estava presa a uma condição social que eu pensava que me favorecia, mas nada me favorece mais do que esta liberdade para a qual você, que me conhece melhor do que eu mesma, apresentou-me como saída.

Obrigada por insistir para que eu não fosse àquela festa, eu não teria agüentado ver os dois juntos, eu não teria aturado, eu não evitaria outro escândalo, obrigada por ficar segurando minha mão e ter trancado minha porta.

Obrigada por insistir para eu cortar o cabelo, obrigada por insistir para eu dançar com você, obrigada por insistir para eu voltar a estudar, obrigada por insistir para eu não tirar o bebê, obrigada por insistir para eu fazer aquele teste, obrigada por insistir para eu me tratar.

Em tempos em que quase ninguém se olha nos olhos, em que a maioria das pessoas pouco se interessa pelo que não lhe diz respeito, só mesmo agradecendo àqueles que percebem nossas descrenças, indecisões, suspeitas, tudo o que nos paralisa, e gastam um pouco da sua energia conosco, insistindo."

Martha Medeiros 



Até breve!!!

...


12.6.12

288: Feliz dia dos namorados


"A história de um amor pouco importa. O que vale é a capacidade de amar, provavelmente a única visão da eternidade que nos é permitida."
Helen Hayes


Olá!
Retornei de viagem ontem à noite e fiquei extremamente feliz em ver umas novas "carinhas" me "seguindo". Bem-vindos!!!
Passei uns dias aqui em Curitiba com minha família (meu afilhadinho amado de 2 anos) e depois fui para a minha terrinha Natal: Guarapuava, PR.
Como estava muito frio, ficamos em casa e comemos muito. Fiz meu delicioso fondue de "queijo e chocolate", dentre muitas outras coisas.



O frio e a chuva já passaram e o dia está lindíssimo, incrivelmente inspirador...
Novidades? Sim!
Estou amando!
Ainda não sei o que irá acontecer, mas já existe alguém vivendo numa "sala VIP" em meu coração.
E que melhor dia para expressar isso do que hoje?
(dia dos namorados)
Bem... Mais detalhes posteriormente. (prometo)
Por enquanto muito trabalho (ainda bem) e muito amor.
Inspire-se abaixo e curta não apenas o dia de hoje, mas se possível, ame intensamente a si mesmo e as pessoas especiais em sua vida todos os dias.
Seguem vários pensamentos que dedicarei ao "AMOR":






ENCONTRO



"Hoje a felicidade quer lhe abraçar,
quer lhe dar o gosto da vitória,
de saber que você é importante,
que é amado e pode amar.

A felicidade está de namoro com você,
e quer transformar o seu dia em conquistas.
Por isso, deixa de pensamentos "negativos",
pense grande, pense em realizações.

Problemas?
Quem não os têm?
O que importa de verdade, são as soluções,
a maneira como você reage diante da dor,
diante da decepção e faz das dificuldades
uma escada para subir, 
não um elevador que despenca.

Por isso, a felicidade cheia de saudades, 
marca um encontro com você,
e não aceita desculpas,
não comece com desalento,
nem venha com reclamações,
venha se arrastando,
mas não falte ao encontro com ela.

Encha-se de boa vontade,
vista-se de esperanças,
coloque a sua melhor roupa,
que tal um novo penteado?
A felicidade o espera,
que tal se arrumar melhor?

Não tem como fugir,
o amor vai lhe encontrar,
o dinheiro vai aparecer,
a saúde vai retornar,
a família vai se reunir,
o carro vai pegar,
o ônibus vai chegar,
tudo vai se encaixar.

Só não duvide do seu merecimento,
você merece esse encontro,
não deixe a felicidade esperando,
prepare-se para ser feliz.
E hoje é o dia perfeito para isso!

Eu acredito em você!" 

Paulo Roberto Gaefke 




"Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido."

Vinícius de Moraes 




"Procurei-te em vão pela terra, 
perto do céu, 
por sobre o mar. 
Se não chegas nem pelo sonho, 
por que insisto em te imaginar ?"

CECÍLIA MEIRELLES 



"Você tem me ganhado nos detalhes e aposto que nem desconfia."

Caio Fernando Abreu






"Aquela era dessas saudades bem-vindas que trazem também descanso e alegria na sua cesta de bênçãos. Era dessas saudades que derrubam cercas e desenham pontes. 
Era dessas saudades que desembrulham lembranças que deixam o instante da gente todo perfumado de Deus. 
Aquela era dessas saudades generosas que bordam sol no tecido da alma com os seus lindos fios de amor." 

LYA LUFT 






PRA SE ROUBAR UM CORAÇÃO

Para se roubar um coração,
é preciso que seja com muita habilidade,
tem que ser vagarosamente,
disfarçadamente,
não se chega com ímpeto,
não se alcança o coração de alguém com pressa.

Tem que se aproximar com meias palavras,
suavemente, apoderar-se dele aos poucos,
com cuidado.

Não se pode deixar que percebam que ele será roubado, 
na verdade, 
teremos que furtá-lo, 

docemente.

Conquistar um coração de verdade dá trabalho,
requer paciência, 
é como se fosse tecer uma colcha de retalhos, 

aplicar uma renda em um vestido,
tratar de um jardim, cuidar de uma criança.

É necessário que seja com destreza,
com vontade, com encanto, carinho e sinceridade.
Para se conquistar um coração definitivamente
tem que ter garra e esperteza, 
mas não falo dessa esperteza que todos conhecem, 

falo da esperteza de sentimentos, 

daquela que existe guardada na alma em todos os momentos.

Quando se deseja realmente conquistar um coração,
é preciso que antes já tenhamos conseguido conquistar o nosso, 
é preciso que ele já tenha sido explorado nos mínimos detalhes, 

que já se tenha conseguido conhecer cada cantinho, 

entender cada espaço preenchido e aceitar cada espaço vago.

...e então, quando finalmente esse coração for conquistado, 
quando tivermos nos apoderado dele,
vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco.

Uma metade de alguém que será guiada por nós
e o nosso coração passará a bater por conta desse outro coração.
Eles sofrerão altos e baixos sim, 
mas com certeza haverá instantes, 

milhares de instantes de alegria.

Baterá descompassado muitas vezes e sabe por que?
Faltará a metade dele que ainda não está junto de nós.

Até que um dia, cansado de estar dividido ao meio,
esse coração chamará a sua outra parte e alguém por vontade própria, 
sem que precisemos roubá-la ou furtá-la nos entregará a metade que faltava.
... e é assim que se rouba um coração, fácil não?

Pois é, nós só precisaremos roubar uma metade,
a outra virá na nossa mão e ficará detectado um roubo então!
E é só por isso que encontramos tantas pessoas pela vida a fora que dizem que nunca mais conseguiram amar alguém...
é simples...
é porque elas não possuem mais coração,
eles foram roubados, arrancados do seu peito,
e somente com um grande amor ela terá um novo coração, 
afinal de contas, 

corações são para serem divididos, 

e com certeza esse grande amor repartirá o dele com você. 

- Luís Fernando Veríssimo




"Amar cria raiz, sim. 

Cria, independentemente de ser verbalizado. 
Basta sentir o amor para que fiquemos dependentes dele, uma dependência boa, daquilo que nos faz sentir vivos."
MARTHA MEDEIROS 




"A vida fica muito mais fácil
se a gente sabe onde 
estão


os beijos de que precisamos." 



MÁRIO QUINTANA






"Basta-me um pequeno gesto,
 feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve..."

CECÍLIA MEIRELES 



"Amor é quando as diferenças não
são mais capazes de separar."

J. de Bourbon Busset 




"Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais." 

CAIO FERNANDO DE ABREU


"Soltei o mundo pra segurar sua mão..."
CAIO FERNANDO DE ABREU 



"Amar é mudar a alma de casa."
MÁRIO QUINTANA 




"Eu não vou te pedir nada. 
Não vou te cobrar aquilo que você não pode me dar. Mas uma coisa, eu exijo. 
Quando estiver comigo, seja todo você. 
Corpo e alma. Às vezes, mais alma. 
Às vezes, mais corpo. 
Mas, por favor, não me apareça pela metade. 
Não me venha com falsas promessas. 
Eu não me iludo com presentes caros.
Não, eu não estou à venda. 
Eu não quero saber onde você mora. 
Desde que você saiba o caminho da minha casa. 
Eu não quero saber quanto você ganha. 
Quero saber se ganha o dia quando está comigo"

CAIO FERNANDO ABREU 



"AMAR

Que pode uma criatura senão, entre criaturas, amar?
Amar e esquecer, amar e malamar, amar, desamar, amar?
Sempre, e até de olhos vidrados, amar?
Que pode, pergunto, o ser amoroso, sozinho, em rotação universal, senão rodar também, e amar?
Amar o que o mar traz à praia, o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha, é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?
Amar solenemente as palmas do deserto, o que é entrega ou adoração expectante, e amar o inóspito, o cru, um vaso sem flor, um chão de ferro, e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.
Este o nosso destino: amor sem conta, distribuido pelas coisas pérfidas ou nulas, doação ilimitada a uma completa ingratidão, e na concha vazia do amor a procura medrosa, paciente, de mais e mais amor.
Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita." 
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE 




"Aquilo que a memória amou fica eterno."

ADÉLIA PRADO 




"Falo do amor ao despertar, 
Falo do amor quando sonho, com as flores, 

com os campos, as fontes, os ecos, o ar, os ventos, 

e se não houver alguém que me escute, 
falo deste amor comigo mesmo." 
Wofgang Amadeus Mozart 




"Será possível, então, um triunfo no amor? 
Sim. 
Mas ele não se encontra no final do caminho: 
não na partida, não na chegada, mas na travessia."
RUBEM ALVES 




O AMOR MADURO

"O amor maduro não é menor em intensidade. 
Ele é apenas silencioso. 
Não é menor em extensão. 
É mais definido colorido e poetizado. 
Não carece de demonstrações. 
Presenteia com a verdade do sentimento. 
Não precisa de presenças exigidas. 
Amplia-se com as ausências significativas. 
O amor maduro tem e quer problemas, sim, como tudo. 
Mas vive dos problemas da felicidade. 
Problemas da felicidade são formas trabalhosas de construir o bem, o prazer. 
Problemas da infelicidade não interessam ao amor maduro. 
Na felicidade está o encontro de peles, o ficar com o gosto da boca e do cheiro do outro - está a compreensão antecipada, a adivinhação, o presente de valor interior, a emoção vivida em conjunto, os discursos silenciosos da percepção, o prazer de conviver, o 
equilíbrio de carne e de espírito. 
O amor maduro é a valorização do melhor do outro e a relação com a parte salva de cada pessoa. 
Ele vive do que não morreu, mesmo tendo ficado para depois, vive do que fermentou 
criando dimensões novas para sentimentos antigos, jardins abandonados, cheios de sementes. 
Ele não pede, tem. 
Não reivindica, consegue. 
Não percebe, recebe. 
Não exige, oferece. 
Não pergunta, adivinha. 
Existe, para fazer feliz. " 


 - ARTHUR DA TÁVOLA




PARA SE GUARDAR UM AMOR 

"A gente nunca deveria se acostumar com o amor. Deveríamos ter sempre essa sensação de novo, novidade, como se, cada manhã, descobrindo o nascer do dia, nos extasiássemos diante do espetáculo como se ele jamais tivesse acontecido antes.

Falta cuidados com o amor, com a nobreza dele e é por isso que ele se apaga. O frio no estômago passa logo que o amor toma posse, o coração bate menos rápido com o decorrer dos dias, a saudade precisa de mais tempo para ser sentida e os hábitos se instalam.

A diferença básica entre homens e mulheres é que a primeira parte é mais racional, vê e ouve somente o que quer, se satisfaz com mais facilidade fisicamente e a segunda... ah, a segunda!... essa é a guardadora dos sonhos que faz com que muitos relacionamentos continuem até depois que o sentimento acabou. 

As mulheres trazem quase sempre escondido no peito a caixinha de promessas dos primeiros encontros, dos primeiros suspiros, primeiras palavras trocadas, elas guardam datas, tentam adivinhar os desejos, se especializam em surpresas e esperam secretamente ser adivinhadas.

Algo que aprendi com o tempo foi que o amor não é um conjunto de compatibilidades, mas a aceitação das incompatibilidades. Não amamos a outra pessoa quando ela tem algo que nos agrada, mas quando o que não nos agrada torna-se menos importante, mesmo se continua a existir. O amor está na diferença do contrapeso.

É preciso, para se guardar um amor, ter-se a memória fraca para certas coisas e um coração desesperadamente atento para outras. 

É preciso conhecer certos detalhes e dar-lhes a devida importância, apreciar o pôr-do sol como se fosse a primeira vez e se dar as mãos como se elas nunca se tivessem separado." 


- LETÍCIA THOMPSON





"Tudo que sabemos sobre o amor é que o amor é tudo que existe."
Emily Dickinson




Até breve!

...







2.6.12

287: “Meu encontro com Einstein”


"Minha vida parece estar se encaixando. 
Como uma perfeita teia de aranha.
Sigo trabalhando em meu traçado e aguardo o resultado."




Olá!
Esta semana trabalhei bastante aqui em Curitiba e também viajei a trabalho.
Tudo está caminhando numa direção bem positiva profissionalmente.
Quanto ao coração, está se aparentemente se "decidindo" por alguém bem especial.
Quando tiver informações concretas, as publicarei.
Por enquanto, te deixo em companhia de um belo texto para uma profunda reflexão. Mas só se você estiver mente aberta para questionar dogmas, pois caso contrário, não gostará do texto.




“Meu encontro com Einstein”



Os anos de 1945 a 1946 passei na Universidade de Pricenton, Estados Unidos, aceitando uma bolsa de estudos para “Pesquisas Científicas”, oferecida por essa Universidade.
Quase nada sabia eu, até essa data, do maior matemático do século – e talvez de todos os tempos – que lançou as bases para a Era Atômica. Nem mesmo sabia da sua presença em Princenton, pequena cidade derramada no meio de vasto descampado, a uma hora de trem de New York. Cerca de um mês após minha chegada a Princeton, passando um dia pela Mercer Street, meu companheiro mostrou-me um sobradinho modesto em pleno bosque e quase totalmente coberto de trepadeiras, dizendo que lá morava Albert Eisntein.

Mais tarde, em companhia de outro brasileiro, consegui uma rápida visita a esse homem solitário e taciturno. Cabeleira desregrada, barba por fazer, sapatos sem meias, todo envolto em um vasto manto cinzento, com olhar longínquo de esfinge em pleno deserto – lá estava esse homem cujo corpo ainda vivia na terra, mas cuja mente habitava nas mais remotas plagas do cosmos, ou no centro invisível dos átomos. Conversar com Einstein seria profanar a sua sagrada solidão.

Mais tarde descobri que ele costumava subir, cada manhã, o morro atrás da Universidade, em cujo topo verde se ergue o Institute for Advanced Studies (Instituto para Estudos Avançados), onde Einstein se encontrava com a equipe atômica – Oppenheimer, Fermi, Bohr, von Braun, Meitner, e outros corifeus.

Durante essa subida, através do bosque, era possível a gente se encontrar com Einstein sem ser importunado. Ele subia quase sempre sozinho, mais cosmo-pensado que ego-pensante. Às vezes, emparelhava eu com o silencioso peregrino sem que ele me visse – tão longe divagava sua mente pelo mundo dos átomos ou dos astros.

Esses encontros solitários eram a única oportunidade para expor as minhas ideias, então ainda embrionárias, sobre a misteriosa afinidade entre Matemática, Metafísica e Mística, que mais tarde expus em aulas e livros, com grande estranheza dos de fora.

Já nesse tempo me convenci de que um homem pode atingir os pináculos da mais pura ética sem o recurso a nenhuma religião particular. Einstein era o exemplo vivo de um homem bom e feliz, ele que não professava nenhuma espécie de religião confessional. (...) Na teologia era Einstein considerado como “ateu” – mas à luz da verdadeira filosofia era ele um grande “místico”. Esse estranho paradoxo aconteceu aliás, a quase todos os grandes gênios religiosos, se, executar o próprio Cristo: eram condenados como ateus pelos teólogos dogmáticos, e admirados como místicos pelos filósofos imparciais. É que todo o gênio profundamente religioso sente a sua afinidade com um Poder Supremo; mas, porque não vê nesse Poder uma pessoa, uma entidade individual, as igrejas dualistas o tacham de ateu e irreligioso. Buda, a consciência espiritual da Ásia, nunca falou em Deus, e poderia ser considerado como o rei dos ateus místicos.

Sendo que a matemática, quando totalmente abstrata, é o contato direto e imediato com a alma da realidade universal, para ale, de todas as facticidades concretas, é natural o homem, assim identificado com a Infinita e Absoluta realidade, não dê importância às coisas individuais e finitas, que governam a vida do homem comum. Louvores ou vitupérios, sucesso ou insucesso, vivas ou vaias, amores ou ódios, simpatias ou antipatias – nada disto afeta e desequilibra a mente do homem que se harmoniza com a suprema Realidade do Cosmos, com o invisível UNO que permeia todos os VERSOS visíveis do Universo. E o que há de mais paradoxal e maravilhoso é que esse equilíbrio entre os extremos opostos não faz do homem cósmico um homem indiferente e frio, mas o torna sereno e benévolo para com todas as criaturas de Deus.

Einstein, o homem místico-cósmico, era um homem amavelmente ético-humano.

Durante o longo estado de coma que pôs termo à vida de uma parenta sua, o exímio matemático tinha tempo para ficar sentado horas inteiras à cabeceira dela, tocando violino ou lendo os diálogo de Platão sobre a imortalidade, e quando alguém o advertiu que a doente estava inconsciente, Einstein respondia que ela ouvia tudo, embora não pudesse reagir visivelmente.

Um dia, a empregada quis pôr ordem na pitoresca desordem da papelada de Einstein sobre a escrivaninha, e encontrou um cheque de mil dólares, já com enorme atraso, marcado a leitura de um livro. Quem sabe se Einstein não jogou alguma dessas cobiçadas preciosidades no cesto de papel velho?...
Tenho na minha pequena biblioteca dois livros de Einstein que não tratam de matemática nem de átomos. Um deles se intitula Mein Welbild, cuja tradução inglesa diz The word as I see it (O mundo como eu vejo). O título do outro é Aus Meinen Spaeten Jabren (Dos meus Últimos Anos). São coletâneas e discursos e artigos ocasionais sobre Deus, o homem, a sociedade, sobre filosofia, ética, sociologia e política não partidária. Nas minhas aulas sobre Filosofia Univérsica, bem como em diversos livros meus, tenho citado tópicos desses livros.

Quando, pela primeira vez, substituí o termo grego "cósmico" pela equivalente palavra latina "universico", houve grande clamor nas fileiras dos que julgam não poderem usar vocábulos não devidamente carimbados pelos dicionários infalíveis. Hoje, porém, já têm a coragem de usar o maravilhoso adjetivo duplo "univérsico" em lugar do termo simples "cósmico".

O que há de notável, quase incompreensível, nas palavras de Einstein, é do fato de ele afirmar categoricamente que qualquer lei cósmica pode ser descoberta pelo "puro raciocínio", como ele chama a intuição cósmica; apela para o princípio dedutivo do a priori. Afirma que a intensa concentração mental, a diuturna focalização no UNO do mundo do VERSO, dos efeitos ou canais. Quando professor da Politécnica de Zurique, na Suíça, causou verdadeiro escândalo entre seus colegas, ao afirmar que o princípio básico de toda a ciência superior era a priori-dedutivo, e não a posteriori-indutivo. Em nossa linguagem seria: o último estágio de processo cognoscitivo, vai do UNO ao VERSO, e não vice-versa. O homem deve focalizar a Causa (UNO) e daí partir para os Efeitos (VERSO).

Surge a magna pergunta: Como atingir a causa, a não ser pelos efeitos?

Mas Einstein nega que haja um caminho que conduza dos efeitos para a causa, ou no dizer dele, dos fatos, para os valores. Afirma que o mundo do UNO, da Causa, do Valor, da Realidade, é revelado ao homem, quando ele está em condições de receber essa revelação; o homem não pode causar esta revelação da realidade, mas deve e pode condicioná-la. "Eu penso 99 vezes, e nada descubro; deixo de pensar e mergulho no silêncio - e eis que a verdade me é revelada."
Na filosofia milenar da Bhagavad Gita se exprime esta verdade do modo seguinte: "Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece."

Em nossa Filosofia Univérsica diríamos: Quando o Ego está em condições propícias, o Eu se revela.

Ou seja: Quando o canal está aberto, as águas da fonte fluem para dentro dele.
Os teólogos diriam: Quando o homem tem fé, Deus lhe dá a graça.

No mesmo sentido disse o Cristo: "As obras que eu faço não sou eu que faço, mas é o pai em mim que faz as obras; de mim mesmo nada posso fazer."

Em todos esses casos, não desce a essas aplicações, mas o princípio fundamental da sua matemática é o mesmo: estabelecer condições favoráveis para que a causa possa funcionar. As condições são do homem, mas a causa é do cosmos.

Afirma Einstein que a Matemática, quando abstrata, é absolutamente certa; mas, quando concretizada, perde da sua certeza na razão direta da sua concretização. Com outras palavras: A Realidade é 100% certa, ao passo que as facticidades não acusam 100% de certeza.

Ora, é precisamente este o princípio básico de toda a verdadeira Metafísica e Mística: a certeza que elas dão da realidade não lhes vem das facticidades, do mundo concreto dos fatos, dominados por tempo e espaço; mas vem-lhes do mundo da pura realidade. E, como nenhum fato pode dar certeza, também nenhum fato pode destruir a certeza que o metafísico-místico tem da Realidade.
Certeza, firmeza, segurança, tranquilidade, consciência da Realidade, serenidade, felicidade - tudo isto brota da fonte suprema da própria Realidade, e não pode ser engendrado nem destruído pelas facticidades.

Victor Frankl, médico-psiquiatra, judeu-alemão, diretor da Politécnica Neurológica da Universidade de Viena, escreveu livros sobre logoterapia, e aplicou essa terapia, com grande sucesso, a seus doentes, usando na Medicina, o mesmo consciente com a realidade central do homem (Uno, Eu).
para curar desarmonias no mundo das facticidades do homem (Verso, Ego).

Joel Goldsmith, em Honolulu, escreveu um livro intitulado A Arte de Curar pelo Espírito, em que ele aplica o mesmo princípio a priori-dedutivo para curar doentes. Fez diversas vezes viagem ao redor do globo, a convite de doentes, sem jamais recorrer ao processo empírico-analítico da medicação material-mental: basta focalizar intensamente a fonte do Uno ou Eu, e os canais do Verso ou Ego recebem as águas vivas da saúde.

Em face disto, poderíamos acrescentar aos três MMM da matemática, Metafísica e Mística, mais o M da Medicina, contanto que por medicina se entenda a cura pela raiz do Uno-Eu, e não apenas a repressão de sintomas da superfície do Verso-Ego, como faz a medicina comum.

Matemáticos, metafísicos, místicos e médicos, nos mais altos pináculos da intuição cósmica, estão convergindo para o mesmo foco único; ou melhor, estão recebendo da mesma Fonte para plenificar os seus canais. Basta entrar em contato direto, imediato e plenicosciente com a plenitude da Fonte Suprema, o UNO do Universo - e todas as desarmonias dos canais, do Verso, serão sanadas pelo impacto desse UNO.

Enquanto a mais pura Matemática não se tornar o princípio dominante da Metafísica, da Mística e da Medicina, não pode haver uma melhoria substancial no seio da humanidade.

Há quase dois mil anos, isto mesmo foi enunciado pelo maior e mais univérsico gênio da humanidade: "Conhecereis a Verdade - e a Verdade vos libertará." 

( Prefácio do livro "Einstein, o Enigma do Universo", de Huberto Rohden )

"Um professor sempre afeta a eternidade.
Ele nunca saberá onde sua influência termina."
Henry Adams


Até a próxima!

...